Arquitetos no mundo

By | 2020-11-27T18:52:25+00:00 27/11/2020|Categories: Tora Brasil|0 Comments

A natureza sempre esteve aqui. Nós, humanos, que chegamos depois e começamos a moldá-la conforme nossos desejos. Por mais que essa alteração da flora e da fauna seja muito comum, não é uma regra: existem exceções, e estes casos transbordam uma beleza única, deixando claro o quão bonita pode ser a relação entre a arquitetura e a natureza.

O desenvolvimento de projetos arquitetônicos leva em conta diversos fatores ao longo do processo, mas estas considerações podem ir além da preocupação da orientação solar ou a escolha ideal de materiais, e realmente intitular a natureza como coautora do projeto. A proposta de equilibrar uma construção com a vida natural que se encontra ao redor dela propõe uma verdadeira retomada de uma relação que há muito tempo foi deixada de lado: a conexão do homem e da natureza.

Muitos arquitetos estabeleceram esta conexão e criaram obras inesquecíveis através do respeito e do uso das estruturas naturais do local. Frank Lloyd, arquiteto estadunidense, deixou sua marca com projetos deste tipo, como é o caso da Fallingwater House, na Pensilvânia, EUA, construída sob uma queda d’água e que, hoje, funciona como um museu. A harmonia com as árvores, as pedras e a natureza como um todo cria uma imagem que excede os poderes do ser humano, afinal, o natural traz brilho para a construção.

Geoffrey Bawa, arquiteto cingalês, deixou como legado o conceito de “Modernismo Tropical” – movimento arquitetônico em que a sensibilidade com o contexto local se combinava com traços do modernismo. Suas obras trazem consigo a exuberância da natureza, o verde da vegetação e os belos troncos das árvores. Suas obras estão espalhadas por todo Sri Lanka e algumas de suas residências servem como pontos turísticos no país.

 

Já no Brasil, é possível observar, em construções icônicas do arquiteto Oscar Niemeyer, este caminhar da natureza com as obras do ser humano. Niemeyer sempre deixou claro que usava a natureza como inspiração para seus projetos, o que se desenvolveu de diversas formas. No caso da famosa Casa da Canoas, a natureza e a construção criam contraste e harmonia ao mesmo tempo, pois a construção se destaca no contexto e, mesmo assim, se insere nas vegetações.

Outro exemplo marcante de harmonia é o restaurante Figueira Rubayat, em que uma figueira-de-bengala centenária é a grande protagonista do espaço. Todo o projeto foi desenvolvido pensando na árvore e, adaptando todas as características possíveis para respeitá-la, o arquiteto Fernando Iglesias criou uma experiência única para os clientes do estabelecimento: fazer uma refeição contemplando o poder da natureza.

Independente do estilo de cada um destes arquitetos e de qual era a proposta de suas obras, é possível perceber que todos têm algo em comum: consciência do poder da natureza e respeito à nossa tão querida mãe terra.

Projetos arquitetônicos que estabelecem uma conversa com as características naturais do ambiente se recriam a todo momento, afinal, a fauna e a flora estão em constante transformação, e trazer estes traços inigualáveis além de criar uma bela estética, aproveita o que o mundo tem a nos oferecer de mais puro: a natureza.